Saiba como vender artesanato nas lojas virtuais oficiais do PAB

Lojas virtuais de artesanato

AUTORIA: Ari Rodrigues

As artesãs e os artesãos, mais do que ninguém, sabem a imensa satisfação sentida após a realização da venda de uma peça artesanal. Enquanto em alguns setores o ato de comercializar basta por si próprio e destina-se, exclusivamente, à troca financeira, para os artesãos essa movimentação possui vários aspectos. Além do dinheiro, que garante o sustento do trabalhador, de sua família e estimula o desenvolvimento da comunidade, há um cuidado em preservar os saberes tradicionais e valorizar os recursos naturais da região. Em complemento, há o reconhecimento do consumidor sobre a importância e a riqueza cultural dos trabalhos empenhados pelos artesãos.

Nessa perspectiva, incluindo o artesanato, o setor terciário da economia compreende as atividades de comércio e serviços, ou seja, centra-se em vender um bem e/ou uma experiência. No Brasil, esse campo teve participação de 73,9% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 e apresentou crescimento de 1,3% em relação ao ano anterior. Com a chegada do novo coronavírus, no início de 2020, todas as atividades econômicas sofreram acentuados impactos negativos, em especial aquelas classificadas no setor terciário. Como alternativa, diversos empreendedores migraram para o meio digital, enquanto outros viram seus rendimentos caírem devido a múltiplos fatores.

Para atender o setor artesanal e atenuar os efeitos da crise sanitária, o Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) firmou parcerias com os marketplaces Amazon e Mercado Livre para a criação de lojas virtuais exclusivas para os artesãos cadastrados no Sistema de Informação do Artesanato Brasileiro (SICAB). A intenção é providenciar alternativas de consumo e, ao mesmo tempo, capacitar os artesãos tanto para as vendas quanto para o atendimento aos clientes. Para isso, o PAB e o Sebrae também se uniram para potencializar o negócio artesanal no país.

Saiba mais sobre as ações do PAB e parceria com o Sebrae!

Por que vender artesanato on-line?

Um estudo do Sebrae e da FGV apontou que o artesanato foi o quinto setor econômico mais afetado pelas mudanças provocadas pela pandemia de Covid-19, com uma perda de 46% no faturamento. Por outro lado, 83% dos empreendedores participantes da pesquisa migraram para os meios digitais a fim de atingir novos públicos ao longo do país e até mesmo internacionalmente. Por se tratar de uma tendência entre os artesãos, é válido avaliar a possibilidade de se inserir no mercado virtual, mesmo com a retomada progressiva das feiras, tendo em vista a possibilidade de renda complementar e a redução de problemas logísticos em cidades interioranas.

A nova modalidade de renda para os artesãos, entretanto, não atingiu a todos devido às desigualdades múltiplas presentes no Brasil. Desafios para a transição digital se mostraram presentes, tais como o desconhecimento das redes sociais e plataformas de vendas on-line, a falta de acesso a equipamentos e a competição desleal com grandes varejistas. A localização geográfica dos artesãos é outro fator determinante para o sucesso nas vendas, pois o alto custo do frete desestimula a compra e o artesão encontra dificuldades em administrar a questão logística sem apoio. As parcerias do PAB visam reduzir tais dificuldades e incentivar o êxito dos artesãos brasileiros.

Como vender na Amazon 

A Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME) e a Amazon Brasil firmaram um Acordo de Cooperação Técnica, de modo a potencializar o empreendedorismo de micro e pequenas empresas e dos artesãos no país. Além de capacitações sobre vendas, a partir da coordenação do PAB, a filial nacional de um dos maiores marketplaces do mundo criará uma página dedicada a valorizar os produtos do artesanato brasileiro. Trata-se de uma oportunidade de realizar negócios internacionais devido à abrangência da empresa.

Entre janeiro e fevereiro deste ano, foram realizados 4 seminários virtuais a respeito do funcionamento das vendas na Amazon. Nos encontros, o ambiente digital foi apresentado e as questões burocráticas foram detalhadas por profissionais da multinacional, de modo a auxiliar os artesãos e os demais empreendedores a digitalizar seus negócios e expandir o alcance de suas marcas e produtos. 

Assista aos treinamentos:

  1. Conheça o Marketplace da Amazon
  2. Sessão de Dúvida com Gerentes de Conta da Amazon
  3. Como começar a vender na Amazon
  4. Sessão de dúvidas

Assim, para cadastrar uma conta de vendedor na Amazon, é necessário possuir CPF ou CNPJ; uma conta bancária com o mesmo registro fiscal escolhido no item anterior; cartão de crédito para questões de segurança; capacidade logística a nível Brasil; além de atentar-se à submissão da primeira imagem de cada anúncio em fundo branco para atender aos padrões do website.

A plataforma disponibiliza dois planos: o profissional (R$19,00 por mês + comissão), com acesso completo a todas as funcionalidades — entre elas, Logística da Amazon (FBA), gerenciamento de estoque e criação de promoções —, e o individual (R$2,00 por item + comissão), recomendado para um volume baixo de vendas. Cada categoria possui uma porcentagem de comissão nas vendas, assim como as taxas de logística variam segundo cada programa ofertado. Confira todos os valores na página oficial da companhia para a decisão de participar do catálogo de vendedores.

Veja o passo a passo para criar uma conta como vendedor na Amazon:

  1. Acesse o site: venda.amazon.com.br;
  2. Escolha o plano de vendas (profissional ou individual);
  3. Selecione a opção “Criar sua conta”;
  4. Preencha os seus dados (nome, e-mail e senha);
  5. Insira o código de verificação enviado pelo e-mail;
  6. Complete as informações da empresa ou da pessoa física (endereço, nome de exibição e celular para contato);
  7. Digite o PIN enviado para o celular;
  8. Adicione os dados do cartão de crédito;
  9. Informe o registro fiscal (CPF ou CNPJ).

Como vender no Mercado Livre 

Quanto ao Mercado Livre, a proposta é semelhante: proporcionar treinamentos aos artesãos e aumentar a visibilidade de produtos locais para todo o país, incluindo o setor nas vendas digitais. A loja oficial do artesanato brasileiro foi lançada em maio de 2021 para os profissionais cadastrados no SICAB. O PAB e o Mercado Livre realizaram um seminário virtual com as principais informações sobre a venda na plataforma e o acordo prevê, ainda, novas capacitações. Confira as políticas e os custos do merketplace.

Saiba como começar a vender seus produtos no Mercado Livre:

  1. Caso não possua a Carteira de Artesão, faça seu pré-cadastro:  http://artesanatobrasileiro.gov.br/ac;
  2. Crie uma conta no Mercado Livre: https://www.mercadolivre.com.br/hub/registration/landing;
  3. Preencha os dados solicitados e valide o e-mail, a identidade, o celular e crie uma senha; 
  4. Elabore um anúncio atrativo (Dicas: https://vendedores.mercadolivre.com.br/cursos/);
  5. Inscreva o seu anúncio através do formulário do PAB: abre.ai/lojapab;
  6. Após o envio do formulário, haverá uma avaliação e será enviado um e-mail de confirmação sobre a inserção do anúncio na loja.

Atualmente, há 541 produtos em exposição na loja do Programa do Artesanato Brasileiro, sendo a maioria relativa às categorias: Casa, Móveis e Decoração; Calçados, Roupas e Bolsas; Arte, Papelaria e Armarinho; e Joias e Relógios.

Categorias de produtos artesanais no Mercado Livre

Distribuição das categorias de produtos artesanais expostos na loja oficial do PAB no Mercado Livre. Elaborado por: Ari Rodrigues.

Em adição, as localizações predominantes dos produtos cadastrados são os estados de Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo, correspondendo a 86% do total. Em relação ao preço, 52% dos produtos custam até R$100,00, e 59% possuem frete grátis, o que estimula os consumidores de várias regiões a adquirirem.

Distribuição geográfica dos produtos cadastrados na loja oficial do PAB. Elaborado por: Ari Rodrigues.

Dicas para vendas on-line

Apesar da abrangência proporcionada pelas vendas on-line, a concorrência é ainda maior do que em feiras presenciais de artesanato. Por isso, é fundamental tratar bem os clientes, desde o atendimento de possíveis dúvidas até a concretização da venda, e esclarecê-lo com fotografias dos trabalhos artesanais, pois não é possível tocar nos produtos. Por outro lado, o artesão também precisa manter-se atualizado quanto às novas modalidades de pagamento, como o PIX e transações através de bancos digitais, por exemplo.

Nesse sentido, traçar um plano sobre a presença digital traz uma grande vantagem para qualquer empreendedor. Como a internet é um universo à parte, a simples exposição de um produto não é suficiente, mas sim, uma estratégia para evidenciar a qualidade de um produto e a experiência que ele proporcionará, de maneira articulada. 

Logo, é preciso estudar o público-alvo, suas necessidades e seus hábitos; pesquisar o trabalho dos concorrentes, enxergando oportunidades de melhorias; investir nos canais mais efetivos para vendas e monitorar os resultados para, então, refletir sobre a trajetória do negócio e mudar a rota, caso seja necessário. 

Uma ferramenta para auxiliar nesse planejamento é a “Trilha do Artesão Empreendedor”, resultante da parceria entre o Sebrae e o Programa do Artesanato Brasileiro. A formação aborda vários aspectos de um negócio, como  o acesso ao microcrédito, a fidelização dos clientes e a organização da presença digital. Os cursos são gratuitos e possuem certificado digital com verificação de autenticidade. Além da trilha, o Sebrae oferece outras formações on-line úteis para os artesãos, como finanças, inovação e planejamento.

Confira o curso Artesão empreendedor: nível 1! Confira o curso Artesão empreendedor: nível 2!

As opiniões emitidas nesta publicação são de exclusiva e de inteira responsabilidade do autor, não exprimindo, necessariamente, o ponto de vista do Ministério da Economia e do Programa do Artesanato Brasileiro.

Referências

AMAZON. Quanto custa vender na Amazon: preços e planos. Disponível em: <https://venda.amazon.com.br/precos>. Acesso em: 02 mar. 2022.

MERCADO LIVRE. Loja do Artesanato Brasileiro. Disponível em: <https://loja.mercadolivre.com.br/loja-do-artesanato-brasileiro>. Acesso em: 28 fev. 2022.

PAB. Loja Oficial do PAB no Mercado Livre. Disponível em: <https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/artesanato/mercado-livre>. Acesso em: 28 fev. 2022.

PAB. Parceria PAB com a AMAZON. Disponível em: <https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/artesanato/amazon>. Acesso em: 28 fev. 2022.

SEBRAE. 7 dicas para vender artesanato pela internet. Disponível em: <https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/7-dicas-para-vender-artesanato-pela-internet,405b347ea5b13410VgnVCM100000b272010aRCRD>. Acesso em: 26 fev. 2022.

SEBRAE. Como planejar a sua presença digital. Disponível em: <https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/como-planejar-a-sua-presenca-digital,9cda25f0fe391710VgnVCM1000004c00210aRCRD>. Acesso em: 28 fev. 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

A Rede Artesanato Brasil usa cookies para personalizar e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.