Os hibridismos do artesanato quilombola do Rio Andirá, Amazonas: análise da rede sociotécnica à luz dos saberes locais e etnoecológicos

[featured_image]
Download
Download is available until [expire_date]
  • Versão:
  • Download 2
  • Tamanho do Arquivo 0.00 KB
  • Contagem de Visualizações 1
  • Data de Criação 2 de fevereiro de 2022
  • Ultima Atualização 2 de fevereiro de 2022

Os hibridismos do artesanato quilombola do Rio Andirá, Amazonas: análise da rede sociotécnica à luz dos saberes locais e etnoecológicos

Todo grupo social está conectado à uma importante rede estruturada pela natureza, seres humanos e objetos técnicos resultantes do encontro dos dois primeiros. Comunidades tradicionais são grandes exemplos de como é possível para as sociedades comporem uma rede que respeita a cultura, identidade, modo de vida local e mundo natural. Este estudo teve como foco delinear a rede sociotécnica que sustenta a produção de objetos artesanais de comunidades quilombolas do Rio Andirá, localizadas no munícipio de Barreirinha, Amazonas. A pesquisa aconteceu especificamente em três comunidades: Santa Tereza do Matupiri, Ituquara e São Paulo do Açu, a fim de entender como seus atores se conectam e atuam. A identidade, território e modo de vida dos quilombolas se mostraram definitivos para o fazer artesanal, e a partir destes o conjunto casa-roça-mata-rio surge guiando as práticas do artesanato. Os objetos aqui estudados, vassoura, paneiro, peneira, tipiti e diversos artefatos de barro, são imprescindíveis para a garantia da subsistência familiar e resultam da relação dos artesãos com o conjunto. Os quilombolas reconhecidos como feitores, são aqueles cuja vida se organizou em volta do fazer. Se tornaram artesãos reconhecidos por seus pares a partir das práticas manuais desde crianças estimuladas, dos saberes tradicionais acumulados, da experiência na mata e rios e do engajamento com o material. O artesão se mostra um ator híbrido que é resultado da conexão profunda do quilombola com sua comunidade, com a natureza e com o material trabalhado. Os objetos que são criados por estes evidenciam a história daquele que faz, daqueles que o ensinaram, da relação etnoecológica com a natureza a volta, da comunidade e necessidades de seus membros.

AUTORIA: Laura Landau.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Rede Artesanato Brasil usa cookies para personalizar e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.