A Gestão de Design e o Modelo de Intervenção de Design para Ambientes Artesanais: Um estudo de caso sobre a atuação do Laboratório de Design O Imaginário/UFPE nas comunidades produtoras Artesanato Cana-Brava – Goiana, e Centro de Artesanato Wilson de Queiroz Campos Júnior – Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco

[featured_image]
Download
Download is available until [expire_date]
  • Versão:
  • Download 45
  • Tamanho do Arquivo 0.00 KB
  • Contagem de Visualizações 1
  • Data de Criação 14 de outubro de 2021
  • Ultima Atualização 14 de outubro de 2021

A Gestão de Design e o Modelo de Intervenção de Design para Ambientes Artesanais: Um estudo de caso sobre a atuação do Laboratório de Design O Imaginário/UFPE nas comunidades produtoras Artesanato Cana-Brava - Goiana, e Centro de Artesanato Wilson de Queiroz Campos Júnior – Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco

Estudiosos e pesquisadores são atraídos pelo tema design–artesanato e seus achados revelam perspectivas nem sempre convergentes. Reconhecendo a importância e provocações que o tema suscita, o interesse desta pesquisa é compreender a relação design–artesanato sob a ótica da gestão, mais especificamente da Gestão de Design, a partir do pressuposto de que os conhecimentos de Gestão de Design podem ser vantajosos para o artesanato. Esse pressuposto norteia a hipótese de que os modelos de gestão de design podem ser adaptados para auxiliar a atuação do designer no ambiente artesanal, desde que valorize a cultura local e contribua para a sustentabilidade ambiental, econômica e social de comunidades produtoras de artesanato. A atuação da pesquisadora no Laboratório de Design da Universidade Federal de Pernambuco O Imaginário junto a comunidades artesãs motivou a pesquisa na busca de um modelo de gestão de design adequado à realidade das comunidades produtoras de artesanato, observando questões relacionadas à sustentabilidade ambiental, social e econômica, a partir da análise de modelos de gestão do design utilizados no ambiente industrial. A pesquisa considerou as vantagens da metodologia de abordagem dialética para compreender a dinâmica das relações nos diferentes contextos (comunidade artesã, mercado e gestores públicos) e utilizou o estudo de caso como método de procedimento.

AUTORIA: Ana Maria Queiroz de Andrade.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Rede Artesanato Brasil usa cookies para personalizar e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.